Meu filho, um dia tu vai me agradecer por isso

Foto ilustrativa,não tenho filho desse tamanho.

Me diverti com o que forçaram-me a vislumbrar: Tcheco ficando para mais um jogo, para ESTE jogo, no túnel pilhando os outros jogadores para que não percam uma dividida, que comam a bola, que destruam o Flamengo pela honra do futebol gaúcho. Exatos 112 minutos antes de Herrera, um dos oito gremistas ainda em campo, atropelar cinco repórteres e uma placa para cavar um escanteio em cima do zagueiro rubro-negro. Tcheco respira fundo e bate o corner na cabeça de Maxi López que cabeceia no segundo pau onde aparece Victor de carrinho, calando o Maracanã. Azuis e vermelhos enchendo a Goethe. Colorados NÃO buzinando na minha janela porque ali tem um gremista no seu merecido descanso. O Ângelo da informática perdoando o fardinho de ceva da aposta. O Maurício do Baguete Diário mandando um torpedo agradecido e sem ironia. Um clipe no Globo Esporte com cenas dos dois jogos da dupla ao som de “valeu a pena, êh, êh… valeu a pena”.

Sério, está comovente essa campanha midiática para que o Grêmio encare SEU amistoso contra o Flamengo como se fosse o Uruguai de 50 no Maracanã. Já fomos, mas era problema NOSSO. Desde domingo estão tentando nos convencer que o Grêmio vista a camisa vermelha em um Maracanazo. Já apelaram para o nosso orgulho pela pátria pampa, não deu. Nos entupiram de textos muito bem escritos por colunistas, escritores, psicólogos e pesquisadores da Universidade de Massachusetts. Não deu. Foram buscar a “opinião” de ex-jogadores que hoje tem outros negócios e objetivos que talvez os impeçam de dizer o que realmente acham do assunto. Não deu. Deram a letra pro STJD, por mais estapafúrdio que seja interferir na escalação ou no ímpeto de uma equipe. Não deu. Colocaram até crianças na história. Não deu.

Mas o argumento mais patético utilizado é o de que o Grêmio Que Nunca se Entrega estaria contradizendo sua tradição no Maracanã. Também não deu, pois não seria o caso do Grêmio estar SE entregando, e sim, de entregar O RIVAL. Ou no mínimo deixando claro que não tem nada a ver com isso, lavando as mãos enquanto lembra do ano passado, dos três pontos que terminamos atrás do São Paulo e dos reservas colorados perdendo no Morumbi. Não choramos isto, pois sabemos que estes eram apenas três dos 12 pontos que estávamos a frente dos paulistas. Fizeram o mesmo e fariam de novo, assim como nós, sempre que pudermos. Tentar amenizar a maior rivalidade do mundo, repentina e oportunamente, em prol de um dos lados é um insulto às tradições pior do que erva-mate com açúcar, churrasco na grelha e a tchê music.

Não. Definitivamente não vamos sair de mãos dadas com os colorados cantando Age of Aquarius. É Pelo bem do futebol gaúcho que o Grêmio não ajudará o inter e essa rivalidade vai perdurar. Para continuar sendo responsável direta pelos títulos gaúchos por aí a fora. Cada um com seus PRÓPRIOS Maracanazos. Caminhando com os próprios pés, como sempre foi. Um dia nos serão gratos por isso.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s