Vídeo de cão sendo agredido no RS gera polêmica na web e mobilização

Reprodução / 

Imagens de violências contra um cachorro no litoral gaúcho estão provocando revolta de internautas no microblog Twitter. O vídeo mostra o cão sendo agredido por dois jovens entre 19 e 21 anos até a morte no balneário de Quintão. As imagens, segundo a polícia, foram produzidas no dia 20 de junho e postadas no site Youtube dois dias depois. Ontem, o vídeo foi retirado do site de repositório de vídeos por quebra das regras de postagem. Mas ainda é possível assistir às imagens neste outro site, que exige cadastro.

A questão acabou virando um caso de polícia, após uma série de ligações recebidas na quarta-feira de manhã pelo posto policial de Quintão. Segundo o delegado de Pinhal e do posto de Quintão, Peterson da Silva Benites, moradores ligaram para denunciar que os agressores seriam moradores do balneário e dar indicações para identificação.

Como a cidade é pequena, horas depois a polícia já tinha os nomes dos três dos indivíduos que participaram da agressão: os responsáveis pelas pancadas e o que filmava. Eles prestaram depoimento ontem mesmo durante a tarde. A pessoa que postou o vídeo na internet ainda não foi localizada.

Os três indicaram o local onde o animal e o objeto da agressão (um pedaço de pau) foram deixados. O cachorro já foi enterrado.

Segundo o delegado, está prevista pena de três meses a um ano de detenção para crime de crueldade e maus tratos contra animais. A pena pode ser ampliada para até um ano e quatro meses pelo fato de a agressão ter provocado a morte do cachorro. Na semana que vem, o delegado pretende remeter os resultados da investigação para o Ministério Público.

— Em nenhum momento eles negaram. Deram uma outra justificativa, de que o animal teria atacado galinhas.

Segundo Benites, não houve reação violenta da comunidade de Quintão porque os agressores foram identificados rapidamente. Na internet, no entanto, houve quem pedisse o linchamento dos responsáveis. No Twitter, a agressão foi o assunto da semana: foi criada uma campanha contra a pessoa que publicou o vídeo no Youtube. Os internautas também se mobilizaram para pressionar por punição aos responsáveis fazendo denúnicas através do twitter e do e-mail da Sociedade Mundial de Proteção Animal (WPSA) no Brasil.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s